25.7.11

Dica de filme: Mary e Max (Ela, uma menina q sofre Bullying. Ele, tem Síndrome de Asperger)


Desenho para adultos. Quem vê uma animação de massinha, logo pensa, isso é filme para crianças. Mas, quem assiste a ”Mary e Max” rapidamente percebe que o filme não tem nada de infantil.
Ele conta a história da menina Mary, solitária, que vive em Melbourne (Austrália) e começa a se corresponder, por meio de cartas, com Max. Max é um senhor judeu de 44 anos que mora sozinho, em Nova York.
Os dois descobrem a cumplicidade e dividem o mesmo sentimento de se sentirem diferentes do restante das pessoas. Max tem a síndrome de Asperger. O transtorno causa isolamento, quadros depressivos, além de apresentar inteligência rara e fixação por determinados assuntos.
Os personagens se unem e acontece uma troca de conhecimentos e carinho, entre diferentes gerações, muito comovente. Ele consegue responder às inúmeras perguntas e dúvidas de uma menina curiosa, de sete anos, que está aprendendo a viver. O filme nos leva a refletir sobre diversos assuntos como bullying, alcoolismo, autismo, religião, confiança e amizade.
Não tem como não se emocionar com o premiado longa-metragem. O diretor australiano Adam Elliot consegue fazer as pessoas repensarem sobre a vida, sobre os valores e a importância da amizade que acontece quando nos identificamos com o outro, com suas dores e alegrias.
Facilmente nos identificamos com os personagens. O stop-motion foi muito bem feito, os bonequinhos chegam a expressões muito humanas. A narrativa é dividida em dois blocos gera dinamismo e ritmo a trama. O diretor mudou o tom de cor da filmagem de Mary (tons sépia) e Max (branco e preto com detalhes em vermelho) que tornou o longa intimista.
Uma boa dica de filme para quem quer se emocionar e gosta de refletir sobre a vida e o valor das amizades. Assista ao trailler abaixo e confira!

video


22.7.11

CIRURGIA GRATUITA DIA 06 E 07 DE AGOSTO NA UFRJ PARA LÁBIO LEPORINO E FENDA PALATINA

Faça uma criança feliz!
Cirurgias gratuitas de lábio leporino e fenda palatina, nos dias 6 e 7 de agosto, no hospital do fundão (UFRJ - ILHA DO GOVERNADOR - RJ)
A PARTIR DAS 8H
INFORMAÇÕES:  (21) 7152-3855 e (11) 3443-1710
* É oferecido alojamento para pacientes e acompanhantes.

15.7.11

João Preste Atenção - Livreto sobre Dislexia!

Dificuldades de Aprendizagem:Um outro Olhar

Deficiência Múltipla (MEC) - Saberes e Práticas da Inclusão

Vídeos da TV Escola sobre Inclusão



PARA ACESSAR, CLIQUE ABAIXO:

http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/ResultadoPesquisaObraForm.do?first=18&skip=0&ds_titulo=&co_autor=&no_autor=&co_categoria=100&pagina=1&select_action=Submit&co_midia=6&co_obra=&co_idioma=&colunaOrdenar=null&ordem=null

Braille Virtual: aprendendo Braille na Internet

Uma das dificuldades do deficiente visual é que os demais à sua volta não conhecem o Sistema Braille de leitura para cegos. O Braille Virtual é um curso on-line baseado em animações gráficas e destinado à difusão e ensino do sistema Braille a pessoas que vêem.
O Braille Virtual é uma animação gráfica que pretende facilitar o aprendizado do sistema. Com os símbolos divididos em grupos de 10, o usuário poderá perceber primeiramente quais pontos formam cada letra Braille. Num segundo momento há a repetição de cada letra, no intuito de facilitar a memorização. Terminada a animação, o usuário pode clicar em cada célula Braille disposta para repetir o aprendizado. A partir do segundo grupo de letras, ao se acrescentar ou retirar apenas um ponto do grupo anterior, forma-se um novo grupo de letras, acelerando o processo. O Braille Virtual é um curso livre e não oferece certificado.
Clique aqui para acessar o curso: 
http://www.braillevirtual.fe.usp.br/pt/Portugues/braille.html